Pesquisar nesse blog

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

É tempo de Feliz Ano Novo



Dentre todos os dons que a Divindade concede ao homem, o tempo tem lugar especial. É ele que acalma as paixões indevidas, ensinando que tudo tem sua hora e local certos. É ele que cicatriza as feridas das profundas dores, colocando o algodão anestesiante nas chagas abertas. É o tempo que nos permite amadurecer, através do exercício sadio da reflexão, adquirindo ponderação e bom senso.

É o tempo que desenha marcas nas faces, espalha neve nos cabelos,
leciona calma e paciência, quando o passo já se faz mais lento. É o tempo que confirma as grandes verdades e destrói as falsidades, os valores ilusórios. O tempo é, enfim, um grande mestre, que ensina sem pressa, aguarda um tanto mais e espera que cada um a sua vez, se disponha a crescer, servir e ser feliz.

E é o tempo, em verdade, que nos demonstra, no correr dos anos, que o verdadeiro amor supera a idade, a
doença, a dificuldade, e permanece conosco para sempre. Tudo tem a sua hora. Cada coisa tem o seu tempo. Há o tempo de nascer e o tempo de morrer. Tempo de plantar e de colher. Tempo de derrubar e de construir. Há o tempo de se tornar triste e de se alegrar. Tempo de chorar e de sorrir. Tempo de espalhar pedras e de juntá-las.Tempo de abraçar e de se afastar. Há tempo de calar e de falar. Há o tempo de guerra e o tempo de paz, mas sempre é tempo de amar.

E observando os dias e as horas que passam, é tempo de aproveitar ao máximo o tempo que temos. Quando planejamos
ações futuras, não devemos esquecer o aqui e o agora. Muitas vezes, acreditamos que somos eternos, os outros morrem, nós não. Ledo engano. Fazemos promessas futuras mesmo sabendo que o futuro é incerto. Adiamos demais e postergamos alegrias. Falamos demais e ouvimos menos; deixamos de convidar os amigos para um jantar porque o sofá está desbotado. Ou não comemos pipoca na sala para não sujar o novo sofá.

Nos preocupamos se o vento desalinha nosso cabelo e
esquecemos de sentir a brisa no rosto; guardamos nossas melhores roupas para uma festa que nunca existirá. Choramos vendo a novela e esquecemos de viver a vida. Ou queremos viver a noite de uma balada mesmo quando estamos resfriados, porque pensamos que o mundo acabará se perdemos uma noite. Reclamamos quando recebemos um beijo molhado de sorvete de um filho e esquecemos de dizer mais "te amo", "me desculpe".

É tempo de prolongar a existência através dos minutos vividos intensamente, e nunca desperdiçá-los. O tempo não nos dá uma segunda chance... É tempo de Feliz Ano Novo!...

sábado, 25 de dezembro de 2010

Amizade incondicional





Sempre aceitarei que você tenha o direito de ser só você,
do jeito que é ou do jeito que deseja ser.

Sempre defenderei seu direito de crescer,
mudar, transformar e realizar seus sonhos.

Sempre incentivarei para que você atinja seus objetivos,
que escale os degraus do sucesso com seu talento e esforço.

Sempre respeitarei seu direito à privacidade
e seu desejo de guardar para si os seus segredos.

Sempre entenderei quando quiser ficar só,
pelo tempo que for e que jamais poderá me amar
do que jeito que eu gostaria.

Sempre afirmarei que você merece amor e amar,
que são graças que não lhe podem ser negadas.

Sempre reconhecerei que você pode questionar
pessoas e fatos que afetem sua vida.

Sempre tentarei fazer crescer sua auto estima
e sua busca para aprimorar-se.

Sempre insistirei que você tem o direito de ser feliz,
que possa encontrar o que seja mais significativo e suficiente
para lhe fazer um ser alegre e completo.

Sempre lembrarei que sua palavra basta
para ter a minha confiança.

Sempre considerarei que você é um ser humano
e tem direito de acertar e errar, dando o melhor de si.

Sempre aceitarei que seja um ser livre, que pode competir,
ganhar, fazer planos e vê-los realizados.

Sempre desejarei que seja uma pessoa melhor
e que jamais deixe passar uma oportunidade de crescimento.

Sempre me policiarei para não invadir seus limites
e não interferir no seu direito de escolha.

Pois são essas as considerações que espero ter a meu respeito.

A vida te espera




Não importa onde você parou, em que momento da vida você se cansou. O que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar, dando uma nova chance para si. É renovar as esperanças e o mais importante, acreditar em você novamente. Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado. Chorou muito? Foi limpeza da alma. Ficou com raiva? Foi para aprender o perdão. Sentiu-se só? Foi porque fechaste as portas. Acreditou que tudo estava perdido? Era o início de tua melhora.

Mas agora é o momento de reiniciar, de pensar na luz e encontrar prazer nas coisas simples de novo. Um novo emprego, uma nova profissão, um corte de cabelo arrojado, um novo curso, realizar o velho desejo de pintar, desenhar, aprender algo novo. São muitos os desafios e há muitas coisas esperando por você. Se sente só? Muita gente espera um sorriso seu para aproximar-se. Quando nos trancamos na tristeza nem nós mesmos nos suportamos. O mal humor corrói o fígado e a alma. Mas basta querermos recomeçar e logo estaremos junto com outros que estão vivendo plenamente a vida.

Onde você quer chegar? Ao topo? Pois então sonhe alto, queira o melhor e atraia o melhor para sua vida. Quem pensa pequeno, só tem o mínimo necessário. Quem deseja o melhor não se importa de lutar para instalar o melhor em sua vida. Jogue fora tudo o que lhe prende ao passado, ao mundinho de coisas tristes, esvazie seu coração. Abra-se para a vida, para um novo amor e para novas oportunidades. A vida espera que venha vivê-la... 



Escolhas na vida



Você pode curtir ser quem você é, do jeito que for
ou viver infeliz por não ser quem gostaria.

Você pode assumir sua individualidade
ou reprimir seus talentos e fantasias,
tentando ser o que os outros querem que você seja.

Você pode se produzir e ir brincar, divertir, cantar e dançar
ou dizer em tom amargo que já passou da idade para essas coisas fúteis,
e que não condizem com sua idade e nem são apropriadas
para pessoas sérias e bem situadas como você.

Você pode olhar com ternura e respeito para si e para outras pessoas
ou pode ter aquele olhar de censura, que poda, pune, fere e mata,
sem nenhuma consideração para com os desejos, limites
e dificuldades suas e dos outros.

Você pode amar e deixar-se amar de maneira incondicional
ou pode ficar lamentando pela falta de pessoas à sua volta,
sem ter com quem compartilhar seus momentos.

Você pode ouvir o seu coração e viver apaixonadamente
ou agir de acordo com o figurino,
tentando analisar e explicar a vida antes de vivê-la.

Você pode deixar a sua vida como está para ver como fica
ou com paciência e determinação
conseguir realizar as mudanças necessárias.

Você pode deixar que o medo paralise seus planos
ou pode partir para a ação
com o pouco que tem e com muita vontade de ganhar.

Você pode amaldiçoar sua sorte
ou pode encarar a situação como uma grande oportunidade
que a vida oferece para crescer.

Você pode mentir para si mesma
achando desculpas e culpados por suas insatisfações
ou pode encarar a verdade de que, afinal é sempre você
quem decide o tipo de vida que quer ter.

Você pode escolher seu destino
e através de ações concretas, caminhar firme em direção a ele,
com marchas e contramarchas, avanços e retrocessos
ou continuar acreditando que seu destino já está escrito nas estrelas
e nada mais lhe resta senão esperar e resignar-se.

Você pode viver o presente que a vida lhe dá
ou ficar presa no passado que já acabou
ou esperar um futuro que ainda não veio,
e portanto nada se permite fazer.

Você pode desfrutar o máximo de coisas que você é e possui
ou pode se acabar na ansiedade e desgosto
por não ser ou não possuir tudo que gostaria.

Você pode celebrar a vida e a energia universal que te criou
ou pode celebrar a morte, aterrorizada com a ideia de pecado e punição.

Você pode continuar na escravidão da preguiça
ou pode comprometer consigo mesma e tomar as atitudes necessárias
para concretizar seu plano de vida.

Você pode aprender o que ainda não sabe
ou fingir que já sabe tudo e não precisa aprender nada mais.

Você pode ser feliz com a vida como ela é
ou passar seu tempo lamentando pelo que ela não é.

A escolha é sua...

Ano novo, vida nova




Ao final do ano temos uma incrível motivação para fazer novas promessas, e traçar metas para o novo ano que se inicia. Também é a época em que podemos sentir um arrependimento por aquilo que gostaríamos de ter feito e não fizemos. E assim a cada ano novas promessas são feitas, para no final vermos que não as realizamos.

Mas o que aconteceu de fato? Por que não fizemos o curso, a dieta, os exercícios e as economias prometidas? Por que não alcançamos nossas metas? Porque promessas e intenções não são atitudes. Muitas pessoas fazem promessas para o ano novo, mas se esquecem que só a atitude pode concretizá-las.

Promessas são apenas palavras, até começarem a ser cumpridas por nossas atitudes.
O primeiro equívoco é confundir desejo com vontade. A maioria de nós apenas deseja. Muitos inclusive desejam intensamente, mas desejo é algo apenas potencial. Sem o exercício da vontade o desejo não se realiza. A diferença entre desejo e vontade é que o desejo é um estado da mente e está ligado a expectativas.

Vontade é um atributo da mente e está ligada a atitude. Se o seu querer estiver na esfera do desejo ele pode não se realizar, porque você não está tomando nenhuma atitude na direção da sua realização. Nossos votos, promessas e metas são expressões de nossos desejos, demonstram o que queremos em potencial, mas somente a atitude materializa o querer.

Nossa vontade é o exercício das nossas atitudes. Para querer, precisamos agir e ter atitudes corretas. Muitas pessoas buscam a felicidade, mas não percebem que suas atitudes estão muitas vezes no sentido contrário à felicidade que buscam. De nada adianta as promessas e apenas acreditar, é preciso reformar as atitudes.

Faça uma lista de todas as suas metas e desejos. Depois marque aquelas que você pode começar desde já a trabalhar para realizá-las; que dependem apenas de sua vontade. Essa é a chave do processo: começando pelas pequenas coisas você irá conseguir as grandes realizações, pois você está exercitando sua vontade.

É através das pequenos desejos realizados que você chegará à sua meta prioritária, pois isso se torna como uma maratona em que cada passo representa motivação para o próximo passo. A chave para reorientar nossas atitudes consiste em 3 pilares: Abandonar, Manter e Adquirir:
  • Abandonar as atitudes que nos afastam da realização de nossos objetivos é o primeiro passo. Quer ser feliz? Abandone a tristeza.
  • Manter as atitudes necessárias para alcançar nossos objetivos pelo tempo necessário para que possam surtir efeito e trazer resultados. Não importa o tempo que levará para chegar ao topo, o importante é manter a caminhada.
  • Adquirir os conhecimentos e adotar as atitudes que nos faltam para realizar nossos sonhos, desenvolvendo uma nova versão de nós mesmos.
Abandonar, manter e adquirir são três grandes ferramentas que garantem realizações. Não fique refém de promessas, não espere melhores condições, enfrente os obstáculos, não fique dependendo dos outros e comece a construir desde já novas atitudes. Ano novo, vida nova!


Os cães ensinam a viver


Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio. Experimente a sensação do ar fresco e do vento na sua face por puro prazer. Alegre-se com o simples prazer da caminhada. Sempre que puder tire uma soneca e espreguice antes de levantar.

Corra, pule, brinque diariamente. Coma com gosto e entusiasmo, mas pare quando estiver satisfeito. Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudar. Pratique a obediência, seja leal sempre mas reclame quando invadirem seu território.

Nunca pretenda ser algo que você não é. Se o que deseja está enterrado, cave até encontrar. Diante do mau humor, fique calado, mas esteja junto. Não rejeite carinhos e evite morder quando só um rosnado resolve.

Nos dias mornos, deite-se na grama. Nos dias quentes, beba muita água e descanse à sombra de uma árvore. Quando estiver feliz, dance e balance o corpo. Não importa ser censurado, não assuma a culpa injustamente. Não fique amuado por qualquer coisa e confie naquele que o tem criado...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

É preciso aprender a viver


Existem pessoas que realmente sabem viver e basta observar para ser uma delas. Independente da condição financeira, da raça, nacionalidade; seja rica ou pobre, homem ou mulher, jovem ou idosa, pertencente a qualquer ideologia política ou religiosa, qualquer pessoa pode descobrir a chave do bem viver e da felicidade.


Pessoas felizes não vivem de queixas e lamentações

Quando se observa uma pessoa feliz, pode-se ver que essa pessoa tem algumas características que lhe são peculiares. A princípio você notará que esta pessoa gosta de tudo que se refere à vida e que ela se sente bem fazendo qualquer atividade. Ela não gasta tempo se queixando ou reclamando, desejando que as coisas fossem diferentes. Esta pessoa tem entusiasmo pela vida e deseja tirar da vida o melhor que ela pode lhe oferecer. Gosta de piqueniques, pipoca no cinema, livros, esportes, cidades e campos, montanhas, praias entre outras coisas e tem afeição por todos os animais.

Perto dela não se houve gemidos e suspiros. Se faz sol ela acha lindo; se chove ela aprecia a chuva. Enfrenta engarrafamentos de transito, filas ou o que aparecer, do jeito que vier e tem a exata sensação de aceitar as coisas.
Sua única dificuldade é dizer do que não gosta e raras coisas a coloca furiosa. Ela observa as situações, trabalha para melhorá-las e aceita o que é definitivo.

Quando as situações são perturbadoras como doenças, calamidades, secas, inundações, mosquitos e outras, se puderem ser eliminadas, ela trabalha por isso e nunca reclama. Porque ela está empenhada em trabalhar, em fazer algo. Isso significa estar viva e ela ama a vida, aproveitando-a em todos os aspectos.
Ela pode relatar seus erros e fracassos do passado, mas ela não se lamenta por isso. Não se aborrece pelo passado e reconhece que os erros fazem parte da vida, mesmo quando se tenta acertar. Também não diz que os outros poderiam ter feito as coisas de outro modo, porque ela compreende que o que já está feito, não está por fazer.

Pessoas felizes não manipulam e não se corrompem


Quem é feliz usa o passado apenas para aprender a trilhar novos caminhos e nunca está tentando manipular ou convencer alguém de alguma coisa, porque ela não presta atenção em táticas. Se tentar convencê-la de algo, ela simplesmente muda de assunto. As estratégias que dão certo com a maioria, com ela não surtem efeitos, porque essa pessoa psicologicamente sadia está isenta de qualquer sentimento de culpa.

Ela não se pré-ocupa; ela se ocupa. Não fica planejando excessivamente o futuro, ela trabalha dentro do processo contínuo para construir algo e sabe que tudo demanda etapas. Não está preocupada porque está livre da ansiedade. Não é a todo tempo muito calma, mas algo em seu interior lhe lembra que irritar-se com a vida é uma maneira tola de viver a única vida que tem.

Pessoas felizes vivem o presente

Essa pessoa vive no presente, não se deixa amedrontar pelo desconhecido e voluntariamente busca novas experiências. Ela sabe conviver com a ambiguidade e saboreia o agora em todos os momentos, consciente de que é tudo o que tem. Ela não espera algum dia para resolver algo, ela está em constante busca de solução agora. Não protela e não guarda nada para um dia de chuva e, embora possa ser desaprovada pelos outros, sua autocensura lhe basta.


Ela não fica semeando para colher no futuro; ela colhe agora e colhe também no futuro, porque ela sabe que é loucura esperar para viver no futuro. Ela tem uma maneira muito natural de viver. Tal como uma criança ou um animal, está ocupada com a plenitude de vida presente, enquanto a maioria passa a vida esperando as justificativas e nunca são capazes de aproveitá-las.

Pessoas felizes são independentes

 
Essa pessoa é independente de uma forma absurda. Vive fora do ninho e, embora possa ter amor e devoção pela família, ela vê a família como algo mais do que um conjunto de obrigações e incentiva a independência como um antidoto para não contaminar os relacionamentos. Ela preza a liberdade tanto quanto as expectativas e se relaciona com base do respeito mútuo, pelo direito que cada um possa tomar decisões por si próprio.

Seu amor não envolve imposições e valores, ela valoriza a privacidade mesmo que os outros possam se sentir rejeitados. Ela gosta ficar sozinha e faz de tudo para proteger sua intimidade. Nunca está envolvida em vários relacionamentos, porque ela seleciona seus amores e ama com sensibilidade. Pessoas dependentes nunca fazem parte do seu rol de relacionamentos, porque ela preza a liberdade.

Nunca deixa que alguém tenha necessidade dela, porque sabe que isso é prejudicial às pessoas. Ela se aproxima de pessoas independentes que se responsabilizam por suas próprias escolhas e vivam a vida por si mesmas. Gosta e aprecia a companhia dos outros, mas sem permitir que os outros se tornem dependentes de si. Ela rejeita qualquer forma de dependência numa relação adulta e encoraja as crianças a terem autoconfiança e oferecem muito amor.


Ela tem uma incrível ausência de busca de aprovação. É livre das opiniões dos outros. Não choca os outros para ganhar aprovação. Ela pode ser aplaudida ou criticada, mas não tem interesse pelo julgamento que os outros fazem. É quase ríspida em sua honestidade, porque se expressa apenas com a verdade, sem tentar florear com palavras só para agradar.

Ela tem um filtro que permite retirar de suas conversas apenas as mensagens principais, o que vale ser ouvido e o que deve ser descartado. Não tem necessidade de ser amada a todo o tempo e nem por todo mundo, nem guarda o desejo secreto de ser aplaudida por todos. Ela sabe que em tudo que fizer sempre incorrerá numa desaprovação, ou de um ou de outro, por isso é fiel apenas à sua própria consciência.


Nela existe uma certa falta de aculturação, não é rebelde mas faz de fato suas próprias escolhas, mesmo que entrem em conflito com o que todo mundo faz. Ignora regras mesquinhas, sem sentido e nem se preocupa com convenções restritivas. Não entabula uma conversa sem sentido, só porque é educado conversar qualquer besteira com os outros. Ela prefere ouvir e ficar calada.

Ela é sempre ela mesma e, embora compreenda que a sociedade faz parte da vida, não se deixa reger por ela e nem se torna sua escrava. Não ataca em tom de ironia ou de rebeldia e sabe o momento de ignorar certas coisas quando não funcionam de maneira sensata.


Pessoas felizes se aceitam e prezam o bom humor


Ela sabe rir e provocar risos. Acha graça em quase tudo e em todas as situações. Pode rir nas situações absurdas, mesmo nas mais solenes ocasiões. Ela não faz da vida algo sério e enfadonho; ela proporciona o riso e cria humor. Nunca usa o ridículo para provocar risos e chamar atenção. Ela não rí dos outros; ela rí com os outros fazendo com que a vida tenha graça, embora decida suas próprias metas.

Ela realiza e não fica calculando a hora certa das coisas, porque sabe que toda hora é boa para tudo. Não acredita nessa estória de lugar certo no momento certo. Ela faz com que toda hora e local sejam certos. Quando precisa voltar atrás em suas decisões, ela não considera que esteja indo a um lugar especial, apenas cria uma atmosfera mais favorável. É muito divertido estar com ela.


Ela se aceita sem queixa e sabe que é humana, isso envolve certos atributos humanos. Aceita sua aparência sendo alta ou baixa, gorda ou magra, loira ou ruiva. Ela considera que "ser" independe da aparência. Gosta e aceita a si mesma e não é falsa quanto à aparência dos outros. Ela não se esconde em coisas artificiais, não se desculpa pelo que não é, não se ofende por coisas humanas.

Ela sabe que a natureza não cria seres super perfeitos e, por isso, não busca ser perfeita fisicamente. Está consciente de que todo ser humano produz cheiros e todos usam o banheiro; não se autodeprecia, encara o mundo e a si mesma como é. Gosta da vida ao ar livre, o mundo natural e aprecia o que seja original. Ama o crespúsculo, os rios, os lagos, as montanhas, árvores, flores e tudo que faça parte da vida.

Pessoas felizes amam a vida natural


Ela é natural no viver e na convivência com os outros. Ela não está preocupada com vida noturna, bares, clubes noturnos, festas e convenções. Ela está em paz com a natureza e com tudo que seja natural. Embora funcione no mundo feito pelos homens, ela está mais atenta ao mundo feito por Deus. Ela aprecia detalhes da vida que passam despercebidos pelos outros: um por-de-sol, os pássaros que cantam, o sorriso de uma criança, uma noite de luar ou o céu estrelado.

Ela está ocupada em apreciar o mundo de possibilidades do momento presente. É capaz de compreender facilmente o comportamento dos outros, embora todos possam achar indecifrável e complexo, não se imobiliza diante dos problemas, mesmo que para outros possa parecer intransponível. Ela sabe exatamente o que os outros tentam lhe dizer, quando dizem exatamente o que querem. Por isso, não faz conjecturas e não torna seus problemas complexos, não dá ênfase aos obstáculos.

Sua autovalia está em si mesma, longe de todos os interesses externos; não se sente ameaçada por fatos exteriores, por ideias ou por outras pessoas.
Ela nunca se empenha em lutas inúteis. Não deseja popularidade, não se atrela a variedade de causas para se tornar importante. Ela pode lutar por mudanças desde que isso possa trazer benefícios a muitas pessoas. Mas ela não deseja morrer por uma causa e nem perde noites de sono por isso. Ela gosta de si mesma e, por isso, dorme bem, se alimenta de forma adequada, faz exercícios e separa seus momentos particulares.

Pessoas felizes são honestas e verdadeiras


Ela é honesta, não é evasiva em suas respostas, não mente, porque considera a mentira uma distorção da realidade e não admite nada que seja auto-enganador. Ela não distorce as coisas nem para proteger a si e nem para proteger os outros. Sabe que seu encargo no mundo é o mesmo que o dos outros e lida de forma efetiva com o que é e não como os outros gostariam que fosse.

Ela nunca censura e não atribui adjetivos depreciativos nem a si e nem às outras pessoas; não gasta tempo fazendo fofocas ou falando mal dos outros, não comenta o que os outros fazem, não espalha boatos, não se intromete. Ela não fala das pessoas; ela fala com as pessoas.


Pessoas felizes são flexíveis e criativas

Ela tem sua autodisciplina e organização mas não se martiriza com a ordem e sistemas. Ela não enquadra as pessoas em sua forma própria de ver as coisas e apenas vê que os outros possam fazer suas próprias escolhas. Para ela, mesquinharias são simplesmente modos de enlouquecer os outros. Ela não vê obrigação de ser de algum modo especial, não tem mania de limpeza e arrumação; ela limpa e organiza a seu modo para que tudo lhe seja prático e funcional.

Graças à sua ausência de neurose organizacional, ela é criativa. Em cada ato ela é peculiar e nunca considera que exista uma receita única de fazer as coisas. Não consulta manuais de comportamento e nem pergunta a especialistas; ela cuida dos problemas de forma criativa e acha excitante viver, por isso mantém seus níveis de energia.
Ela não se entendia e vê os acontecimentos da vida como uma forma para fazer, sentir, pensar e aplicar suas energias. Está sempre em atividade e desconhece o tédio. É ultra curiosa, nunca considera que sabe o suficiente, quer sempre aprender mais. Não se preocupa com o que dá errado; se não funciona, ela abandona.

Pessoas felizes vivem a felicidade


Ela aprende não para se distinguir dos outros e ter méritos por isso; ela aprende para compartilhar com os outros. Ela quer saber como as coisas funcionam e cada objeto é uma oportunidade para aprender mais. Não espera que as informações caiam do céu, ela pesquisa e se aprofunda para saber o porquê de cada coisa. Ela não tem receio de falhar e não equaciona o fato de ser bem sucedida em algo como um sucesso do ser humano. Qualquer acontecimento é eficaz ou ineficaz, o fracasso é apenas encorajamento para outras tentativas. Ela não tem medo de se explicar e se esforça para melhorar o que pode ser melhorado.

É capaz de eliminar emoções autodestrutivas e estimular emoções construtivas. Não tenta a todo instante se defender, não entra em jogos psicológicos e nem tenta impressionar os outros. Não se veste para os olhares alheios, tem a simplicidade e naturalidade. Não se deixa seduzir pela necessidade de transformar coisas pequenas, não debate, não discute, apenas expõe seus pontos de vista. Ela reconhece a futilidade de tentar convencer os outros; todas as propostas podem ser verdadeiras, embora sejam diferentes.
 
Seus valores não são locais, não se identifica com a família, a vizinhança, a comunidade, a cidade, estado ou país. Vê a si mesma como pertencendo à raça humana e ninguém é melhor ou pior que ninguém. Não se torna feliz ao ver a morte de um inimigo, visto que inimigos são apenas humanos. Não tem herois nem ídolos, não exige justiça a todo momento, não tem inveja do sucesso alheio, não torce pelo fracasso dos outros. É motivada pelo desejo de progredir e não há lugar para autopiedade. Vive integralmente cada dia e não fica estendida no chão quando tropeça. Ela tem determinação para seguir adiante.

Ela não corre atrás da felicidade; ela vive a felicidade, porque nada no mundo torna a felicidade inatingível do que o esforço para tentar encontrá-la ou estar atrás dela. Cada função normal da vida tem alguma dose de felicidade e ao usar seus próprios meios, você pode se tornar uma dessas pessoas felizes que sabem simplesmente viver...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Aprenda com os bichos





O Beija-flor representa a alegria e o entusiasmo que se tem em  tudo que faz. Encontre e invista em algo que te deixe realmente feliz. Leve a alegria onde estiver. Observe que você pode e deve tirar a negatividade de um momento de crise ao seu redor.







O Cavalo representa o poder de domínio sobre sentimentos e ações. Sinta-se com o poder do cavalo. Galope, mas recorde o caminho que percorreu. A sabedoria está em não passar pelas coisas sem entendê-las, mas em conhecer como se chegou até aqui. Tenha poder sobre os próprios sentimentos e desejos. Se algo o assustar, não dê coices sem saber como reagir. Corra alegremente para as suas metas. Nada poderá detê-lo. Confie em seu poder de liderança.





O Búfalo representa a abundância; a manifestação da fartura por meio da ação correta. Serve de alimento, abrigo, segurança e proteção por meio de sua carne, pêlo, couro, chifre e o óleo extraído da pele. Liberte-se do medo da falta de bens materiais e da escassez. Veja em tudo motivo de agradecimento pela abundância. Em momentos de escassez, surgem as saídas para as grandes crises. Abra-se para receber.






A Borboleta representa a transformação; o começar sempre algo novo. Ela nos ensina a perceber todas as etapas necessárias para uma verdadeira transformação, interna ou externa. Ela passa por vários estágios: ovo larva, casulo até nascer. Por isso é preciso respeitar os estágios; não pular de uma fase para outra, sem a devida atenção ao que está sendo feito. Atire-se sem receios a novas oportunidades. Mostre sua capacidade de transformar e adaptar-se. Apresente uma idéia nova ou novo projeto para melhorar o seu trabalho e as suas relações interpessoais.




A Formiga tem uma força extraordinária, que está assentada na estratégia da paciência. Elas planejam com cuidado e agem com   habilidade, senso de grupo e união. Formigas ensinam que o sucesso nasce do esforço, mas às vezes é importante esperar. Assim como a formiga, saiba planejar para se sair melhor em seus momentos difíceis e  alcançar sua meta no momento certo. Observe as pessoas e as situações e espere que elas fiquem mais favoráveis e expostas. Saiba usar sua força e energia para o bem do grupo.






A Onça-pintada representa a agilidade, a solidão e observação para reclamar seu espaço. Sua agilidade ao lado da capacidade de permanecer estática observando a presa, são aspectos de sua concentração e habilidade física mental e psíquica. Observe e saiba a hora certa para correr atrás de seus objetivos. Observe se seu desejo de solidão é adequado ao que necessita fazer e planejar ou se mostra excessivo, por medo de relacionamentos. Confie na sua capacidade de ir muito além do que lhe é pedido. Observe com cautela os movimentos em seu trabalho.




O Coelho representa a capacidade de mover-se além da estagnação do medo. Preste atenção às oportunidades que a vida lhe mostra. Corra para elas e saiba que pode realizá-las. Não se deixar paralisar por dúvidas inúteis. Não se mostre e nem se ponha em evidência desnecessariamente. O medo paralisa e impede o fluir da vida. Encontre alguma forma de relaxamento: andar, respirar, tomar sol, buscar auxílio através de terapia ou dedicar-se ao lazer. Perceba como tudo isso ajudará a desatar os bloqueios que o impedem de se realizar em suas tarefas.





O Urso representa a introspeção e o encontro de respostas dentro de nós mesmos. Depois de atividades e lutas pela sobrevivência, o urso entra na caverna e hiberna, digerindo as experiências por um ano. Quando muitas idéias diferentes tomarem conta de sua cabeça, procure se acalmar e deixe para resolver mais tarde. Se existir confusão, a decisão também será confusa. Em vez de tentar com aflição encontrar a reposta de que tanto precisa, deixe a intuição funcionar. A verdade que você procura vai aparecer. Antes de dormir, peça que lhe seja mostrado em sonhos o insight de que precisa para resolver algo que está lhe desgastando.





A Águia representa o vôo da alma acima das emoções do cotidiano. A águia nos ajuda a ver a vida num contexto mais amplo, permitindo que possamos tomar decisões e definir metas com clareza e ojetividade. Reconecte-se com sua sabedoria intelectual, buscando no racional a solução que o emocional não está conseguindo lhe oferecer. Desenvolva uma visão mais ampla e não se apegue aos pequenos detalhes do cotidiano. Enxergue além.








O Lobo representa a coragem de aprender e o compartilhamento do conhecimento. Tenha coragem de enfrentar novas idéias e novos projetos. Compartilhe o conhecimento com o mundo, como um professor carinhoso e paciente. Tenha coragem de percorrer novos caminhos. Sejam eles externos ou internos. Perceba sua hora.







Como vivenciar internamente a energia dos animais?

Ouça uma música que lembre a natureza ou os ruídos dos animais. Feche os olhos, com uma respiração calma e tranquila, numa posição confortável, deixe sua mente ir se aquietando. Naturalmente um animal irá aparecer em sua mente. Este animal, com certeza, será o "animal" que você está precisando naquele momento.

A partir de então, pense nas qualidades que este animal representa para você e de que forma você pode incorporá-las no dia-a-dia. É fundamental que isto seja feito com a maior naturalidade possível. Outra forma, de conectarmos com as propriedades do animal de poder, é mantermos perto de nós suas representações na forma de um objeto, foto ou gravura.





Seja como a Cobra: liberte-se de idéias antigas.







Siga como o Cachorro: seja fiel aos seus ideais.







Observe a Tartaruga: espere o momento certo,






mas seja como o Porco-Espinho:
acredite no seu processo e em si mesmo.






Siga o exemplo do Esquilo: guarde só o necessário







e como a Coruja, veja o que os outros não percebem.







Seja como o Jacaré,
aceite as finalizações e alegre-se com os novos começos







e como o Cisne, busque sua beleza interior.









Faça como o Papagaio: reflita bem







e como o Guaxinin:
mantenha o sigilo que ajuda nas transformações.







Faça como o Tatu, defina suas fronteiras








e como o Coiote, ria da sua própria seriedade.











E ainda que as coisas estejam mal,
seja como a Hiena: ria sempre...








sábado, 4 de dezembro de 2010

Decisão e determinação

 
 
Mais que um grande piloto, Ayrton Senna foi um grande ser humano que nos legou muitas lições positivas. De suas palavras podemos aprender que  quatro emoções básicas podem acionar realizações. São 4 "Ds", que podem mudar radicalmente os nossos objetivos e planos. Quando permitimos que essas emoções  se acendam em nosso interior, tudo muda e transforma em nossa vida.

  • DESEJO
 
Essa é a força mais poderosa. Há somente duas razões pelas quais fazemos tudo na vida: ter prazer ou evitar a dor. É isso nos leva a agir. Existem muitas formas de despertar nossos desejos, porém não devemos temer que os nossos desejos possam nos levar a lugares inexplorados.
 
O medo que sentimos para dar vazão aos nossos desejos é a forma que geralmente utilizamos para nos protegermos de desapontamentos. Mas da mesma forma que nos protege de desapontamentos, também nos afasta das experiências enriquecedoras da vida e que podem nos proporcionar muitas alegrias e satisfação.

  • DESGOSTO
 
É a força que nos impulsiona. Quando passamos por um profundo desgosto, significa que não há retorno, não gostamos mais daquilo. Gostar é contrário ao desgostar. Não importa a origem, o desgosto está sempre misturado com outros sentimentos de ultraje, humilhação, medo, cansaço, saturação de uma determinada situação, que chega ao seu limite extremo.
 
A maioria das pessoas associa o desgosto a algo ruim, mas esquecem que o desgosto também pode ser utilizado para uma ação positiva. Muitos mudam completamente a vida depois de uma experiência ruim. Constatar que algo não funciona é a oportunidade para dar um basta; não tolerar mais aquela situação.

  • DECISÃO

Decidir faz toda diferença. Existe uma coisa que, apesar de parecer prazerosa afeta a todos, chama-se “zona de conforto”. É uma acomodação a qualquer situação para evitar conflitos, mas principalmente para não ter que assumir as consequências de decisões.

Tomar uma decisão algumas vezes significa lidar com emoções conflitantes. Temos de escolher uma direção entre muitas, exceto a direção em que nos encontramos. Decisões mudam nossas vidas e as emoções em conflito lutam para ter supremacia, cada uma com seu arsenal de razões. Qualquer que seja a razão para uma decisão, o mais perigoso é não decidir e esperar que a vida decida por você.

  • DETERMINAÇÃO

Somente quem tem determinação realiza. Nada no mundo pode resistir a um desejo que já decidiu tomar uma direção com determinação. Quem decide subir uma montanha não se intimida diante da sua altura.

Mesmo que as condições do topo sejam adversas, que haja muito frio, muita neve, muito vento ou seja muito perigoso, é a busca da conquista que nos fazem iniciar a escalada. É quando a determinação fala mais alto. Não importa quanto tempo levará para chegar ao topo; importante é levar o tempo que for necessário e chegar lá...


video
 
 
Seja um vencedor em sua vida.
Com a força de sua mente, de seu instinto e com sua experiência você pode voar alto.
 
Seja quem você for, seja qualquer a posição que você tenha na vida,
de um nível social altíssimo ao mais baixo,
tenha sempre como meta muita força, determinação
e sempre faça tudo com amor e com muita fé em Deus.
Um dia, com certeza você lá. De alguma maneira, você chega lá!
 
A vida é feita de desafios, cabe a cada um querer enfrentá-los ou não.
Mas para vencer você tem que decidir,
superar seus próprios limites e desenvolver seus talentos.
Você encontrará obstáculos, adversários e riscos,
mas o que impoprta é a sua força e determinação.
 
Valorize as suas habilidades.
Pilotar a vida requer ter prazer naquilo que faz usando as suas competências.
Vencer na vida significa observar as regras e algumas vezes parar para se inovar.
Você pode se reinventar muitas vezes e, apesar de não poder mudar o seu passado,
você pode mudar o curso de sua história.
 
Vitória é produto de muito trabalho, esforço e dedicação,
por isso comemore as conquistas de cada dia, ainda que sejam menores.
Nunca esqueça daqueles que são parte de sua vitória,
que colaboram e torcem por você.
 
Seja um exemplo para outros, abandone seus medos e ultrapasse o pessimismo.
Seja leal e honesto consigo, com os outros e não perca o foco na vida.
Seja o melhor que puder, faça o melhor para si e para os outros
e com certeza você será um vencedor...
 

 


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Recomeçar



Se nasce um novo dia, tudo começa de novo. Se você confiou em Deus e andou seu caminho com ele; se você o sentiu a guiar todos os seus dias, mas agora seus passos levam por outro caminho, tenha força e comece de novo.

Se você fêz planos que não deram certo; se você tentou dar o melhor de si e não há mais o que tentar; se você falhou consigo sem saber porquê; tenha ânimo e comece de novo.

Se você contou aos seus amigos sobre os seus planos, contou com eles e eles não te apoiaram; se agora está só, podendo contar somente consigo; tenha fé e comece de novo.


Se você falhou com seus familiares e agora já não é tão importante para eles; se perderam a confiança em você, e agora você se sente um estranho no ninho, ainda há tempo, comece de novo.

Se você tem certeza de que não tem mais nada e quer desistir; chegou ao fundo do poço, tentanto e tentando e não conseguiu subir; não desista, comece de novo.


Se os anos passam tão depressa e os sucessos são poucos; se chega dezembro e você se sente triste, Deus dá um novo janeiro a você; é a sua chance de recomeçar. Esqueça os fracassos e tente novamente. Você já aprendeu a superar alguns obstáculos; comece de novo!...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Você faz as escolhas e elas fazem você



A todo momento estamos fazendo escolhas em nossas vidas, desde a hora que acordamos temos de escolher se vamos levantar ou permanecer mais tempo na cama; a roupa que vamos vestir, como iremos para o trabalho, tomar ou não o café. São as escolhas passadas que nos trouxeram até aqui; e as escolhas de hoje, irão nos levar a algum lugar.

Sabemos desde pequenos que, quando fazemos uma escolha, naturalmente estamos descartando outras opções, e, de opção em opção, vamos tecendo nossa vida. Embora não seja fácil, a vida exige escolhas a todo momento.
Se escolhemos estudar, temos de abrir mão de alguns divertimentos; se escolhemos uma profissão de engenheiro, não poderemos nos dedicar à medicina. Se escolhemos ir ao cinema, talvez dê tempo para encontrar os amigos; se encontramos os amigos, perdemos o horário do cinema. Não se pode abraçar tudo ao mesmo tempo.

E chega um dia, depois de muitas paqueras e namoros, que você tem que decidir se vai casar com um certo alguém, ou se vai ficar apenas nas paqueras, sem criar vínculo afetivos. As duas opções têm seus prós e contras. Se você casar terá responsabilidades e cobranças mas terá uma linda família com quem compartilhar suas alegrias e tristezas. Se você ficar solteiro, estará livre mas com quem vai chorar suas tristezas ou comemorar suas vitórias?
É você quem decide.

Morar na cidade ou no campo; ficar no seu país ou ir morar no exterior; fazer dieta ou ficar obeso; casar ou ir para o convento. Tudo é válido, só que há um preço por cada escolha. Como seria maravilhoso se pudéssemos tirar férias a cada 3 meses de trabalho; e viajar pelo mundo desfrutando das mordomias nos hotéis 5 estrelas. Ter filhos e só ter o prazer de brincar com eles sem a obrigação de corrigí-los.

Por isso é tão importante sabermos sobre as escolhas que vamos fazendo durante a vida e refletir sobre elas. Podemos até reavaliar algumas decisões e mudar de rota; mas até mesmo nas mudanças, temos de arcar com as consequências das escolhas anteriores.

O poder de mudar de rota, escolher outro caminho a qualquer momento, pode acrescentar outras vivências, mas nunca anula o passado. Por isso, decida desde já a correr atrás de seus sonhos, busque novos caminhos; pois a vida é muito curta para que permaneçamos indecisos diante dos caminhos...

Estrelas do mar





Gosto muito dessa estória, antiga, que todo mundo conhece, mas que conservo como filosofia de vida. Certa vez, um jovem estava na praia recolhendo estrelas do mar para jogá-las, uma a uma, de volta ao oceano. - Por que está fazendo isso? perguntaram-lhe. Ele respondeu: - O sol está forte e se não devolvê-las ao mar elas morrerão.

Espantados, lhe disseram: - Existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz se você devolve algumas ao oceano. A maioria vai morrer de qualquer forma. O jovem pegou mais uma estrela na praia, devolveu-a ao oceano, e respondeu: - Para esta, eu fiz a diferença...



domingo, 28 de novembro de 2010

Vamos cirandar



Olho as crianças e procuro em vão o que louvar nesses seres miúdos que a toda hora me cruzam o caminho e até se parecem comigo em alguns pontos, mas que guardam distância cósmica. Reconheço que, se na imaginação e por hipótese lhes estico as pernas e braços e avolumo o corpo, fazendo os ajustes necessários acabo construindo um adulto como eu, mas a semelhança acaba no físico.

Nós por exemplo, sabemos mentir muito bem. Eles não sabem, mentem mal, como se não tivessem aptidão humana para isso. Temos raivas frias, perdurantes sob sorrisos e olhos macios; eles só sabem ter estouros. Conseguimos conter a mais forte alegria, só para o outro não perceber que, no fundo, estamos até gostando dele se lascar. Eles são capazes da mais cristalina gargalhada, até mesmo se sua mãe estatalar no chão.

Só para cumprir liturgias de adulto, damos a maior atenção a gente que, por dentro, queremos mandar às favas. Eles não alteram nunca a sintonia dos gestos externos com os internos. Minha segurança se abala quando as coisas saem dos lugares onde aprendi que devem estar; eles querem sempre rearrumar o mundo, à sua imagem e semelhança.

Não se conformam de que não possam enfiar um prego ou grampo numa tomada elétrica. Desconfiam do nosso bom senso se achamos o armário inadequado para ali fazer picnic com velas acesas. Querem tirar a prova por eles mesmos, querem experimentar para ver se realmente a faca corta e que gente não voa.

Sublimam a cada momento minha obsolecênia, entendendo antes de mim os jogos do meu computador ou explicando o desenho animado que não entendí porque é falado em alemão. Ao mesmo tempo, desarrumam sistematicamente meu mundo, impõem uma irritante ordem fixa em mundos a que só tiveram acesso porque foram criados por adultos como eu.

Quando contamos estorinhas e, para fugir do tédio da milésima repetição, tentamos introduzir variantes, eles impõem a retomada da versão original. Não entendo como consigo gostar tanto dessas criaturinhas. Só vejo uma explicação para amá-los tanto; a nostalgia de ter virado adulto. Acho que é a mim que amo neles, o que deles restou em mim.

Escrever é paixão e brinquedo quando a gente sente que há alguém do outro lado das letras. É igual na cantiga de roda: "Sozinho eu não danço, nem devo dançar, porque quero alguém para ser meu par". Por isso, sou grata a todos vocês que deixam recados carinhosos na minha caixa postal. E nesse espaço, haveremos de continuar nossa ciranda, pela vida, na viva voz, sob o olhar silencioso das estrelas que enfeitam o céu da nossa amizade.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Superação


Superação é fazer acontecer com as ferramentas que temos em mãos.
Superação é trabalhar da melhor forma possível,
independente do que pensem ou falem.
Superação é irmos além do que os outros acham que somos capazes.
Superação é saltar tão alto que ultrapasse a barreira da estima machucada,

da confiança perdida, do relacionamento quebrado…


Se supere sempre; aposte em si mesmo, faça o hoje melhor que ontem.

A cada tropeço, um recomeço; a cada falha, uma tentativa.

A cada derrota, uma luta; a cada barreira, uma experiência;

A cada desafio, uma aprendizagem; a cada momento difícil, uma superação;

A cada sonho, uma esperança; a cada objetivo, uma busca;

A cada busca, uma descoberta;

E a cada descoberta, uma nova razão para viver!


Não deixe o medo de morrer ser maior que a vontade de viver.

Quanto menores somos como seres humanos, maiores são nossas vontades.

O amor não se pesa numa balança e não se mede com uma fita métrica.


Um sonho não acaba quando acordamos;
acaba quando queremos que isso aconteça,

porque é possível sonhar mesmo quando estamos acordados.

O sonho não se limita, nem se impossibilita.

No sonho se acredita e se realiza.


"Algumas pessoas preferem olhar para trás ao invés de olharem para a frente, porque é mais fácil lembrar de onde se esteve do que pensar para onde se vai."

Superação depende de uma super-ação.
O céu é um limite que nunca tem fim...

video

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Acredite, a felicidade existe



Ás vezes podemos até duvidar, mas a felicidade é muito simples. E quando você descobre isso, ela deixa de ser uma espera e passa a ser um minuto, um segundo. Encontrei-a certa vez, mas ela fugiu. Pouco depois a encontrei de novo, mas ela disse que estava atrasada e eu entendi com preguiça de filosofar. Mais tarde ela voltou sem falar nada e se enfiou comigo embaixo das cobertas, quentinha... Só foi embora quando o relógio despertou e eu tinha que levantar e estava frio e chovendo.

Durante o dia ela voltou em situações bobas com o sorriso de alguém que nem conheço; o pacote de balas que eu achei na gaveta, e um elogio que recebí gratuitamente. Ela ia e voltava, ia e voltava: como a vida. Linear são os batimentos cardíacos da morte. À noite ela apareceu na porta do meu banheiro, fez tanta força que entrou mesmo com a porta fechada. Focinhou a porta do box e veio na forma de um sabonete cheiroso que me trouxe uma doce lembrança. Logo depois, estava naquela toalha felpuda e macia para me enxugar.

Ela toma banho comigo quando a água leva embora coisa ruim e renova a alma. E dorme ao meu lado quando eu descanso. Às vezes ela desaparece durante tanto tempo que me falta o ar. Dá uma saudade louca, ela deixa um vazio depressivo, um buraco. Ela me faz sentir sendo mais uma e eu odeio ser somente mais uma. Não posso negar a dependência que eu tenho dela. Mas eu aprendi, finalmente.

Aprendi que ela não aparece apenas numa grande história de amor, ou numa viagem maravilhosa que tantas vezes foi planejada ou grande e gorda na minha conta bancária carente. Ela também dá as caras pelo lado simples da vida. Ontem apareceu numa tomada. Eu precisava recarregar meu celular e uma tomada apareceu do meu lado. Depois estava naquela mensagem carinhosa de um amigo. A felicidade entrou com o pé na porta e sentou ao meu lado. Eu não estava mais sozinha esperando o espetáculo.

O trânsito todo parado e uma criança me acena no carro ao lado. O dia meio cinzento, vai-não-vai e de repente ela surge amarela e esquenta a vida. Ela mora numa gaveta cheia de bobeirinhas lá em casa, que tem nariz de palhaço de festa louca, cartinha de amor antiga, nas fotos e lembranças de carinho em flores secas. E vem naquela soneca gostosa depois do almoço de domingo com toda familia animada.

Ela é virtual quando encontro alguém que gosto no orkut; ela é fantasma quando lembro que alguém me disse que eu tinha muita sorte.
A felicidade mora num mundo pequeno e não naquele grande que faz você se perder demais. A felicidade é simples, e quando você descobre isso ela deixa de ser uma espera e passa a ser um minuto, um segundo. E é de minutos e segundos que se faz a vida. E aí você perde menos tempo esperando e mais tempo vivendo. Entre o piegas e o chavão, é assim que vivo a vida intensamente sem esperar momentos intensos. Você já tentou?

Não fique achando que ela está lá com alguém que nem te quer. Ela pode estar numa música boba, pode ser num amigo que você não via há muito tempo, ou em pequenas coisas que te faça desmaiar de rir. Eu sempre esperei viver uma história de cinema, ouvir cantadas de filme francês, ganhar salário de estrela, ter amigos de sitcom, ser capa de revista ou ir naquela festa de celebridades. Mas ai eu lembrei, que os filmes de que eu mais gosto são aqueles despretenciosos que contam a história de uma pessoa feliz como eu...

Desconheço a autoria

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Eu quero eu posso eu consigo


Existem pessoas que por algum motivo já nascem tocando piano; outras nascem sabendo desenhar sem nunca ter aprendido; e ainda existem aquelas que pintam quadros maravilhosos sem que ninguém lhes tenha ensinado. Ótimo! São pessoas que nasceram com uma capacidade já desenvolvida. Mas se você não nasceu com esses dons de berço, saiba que você pode se tornar o que você quiser, basta querer.

Quando você quer uma coisa de verdade, nada tem o poder de destruir o seu querer, a não ser você mesmo, porque a base de qualquer coisa está no seu desejo de realizar. Você pode encontrar obstáculos e adversidades, mas se você quiser fazer algo, essas dificuldades irão servir como um trampolim para você chegar onde quiser.


Existe um conceito que diz: Eu quero, eu posso, eu consigo. Logicamente você não vai querer que numa madrugada chuvosa, no meio de uma estrada deserta, apareça um taxi, só porque você desejou. Realizar um desejo requer que você decida por ele, trace um plano de ação e comece a suar a camisa para consegui-lo, sem desistir diante do primeiro obstáculo.

Você pode encontrar portas fechadas, mas se olhar para os lados vai encontrar várias janelas abertas que irão lhe dar informação sobre como abrir a porta, sem derrubá-la, ou lhe dirão onde encontrar outras portas abertas.
Você terá à sua frente inúmeros testes e provas, enfrentará chuvas e tempestades, algumas vezes terá a sensação de fome e sede num deserto, mas isso não importa. A sua decisão e determinação lhe levarão onde você quer.

Não espere incentivos de ninguém; é você quem deve se incentivar. Não espere ser motivada; é você quem tem que saber os seus motivos. E mesmo que não pareça importante para outros, seus motivos são os mais importantes.
Logicamente problemas sempre existirão em sua vida, e para cada um há sempre uma solução ou várias soluções.

Você até pode rejeitar diversas soluções, mas se não concorda pelo menos com uma solução, só existe uma conclusão: ou você é parte do problema ou você é parte da solução. É você quem decide de que lado quer ficar. E se o problema não tem solução, solucionado está, deixa de ser um problema para se tornar algo real, com o qual você terá de aprender a conviver.


Uma das grandes virtudes das pessoas de sucesso é a capacidade de recomeçar. Se algo não funciona, às vezes o problema está na base, e você tem que começar tudo novamente. Mas até nisso você leva vantagem porque já conhece os caminhos para chegar no ponto em que parou, evitando os erros que cometeu anteriormente. Isso é sua capacidade de aprendizado. Se abra para aprender, reaprender, mudar, transformar, sem no entanto se desgastar. Isso se chama resiliência.

A resiliência é uma propriedade que define a resistência de um material ao choque; uma resistência ao sofrimento, uma capacidade de resistir aos embates de natureza psicológica, como impulso de reparação psíquica que nasce desta resistência. (Leia sobre Resiliência neste blog)


Seu grande desafio é assumir a responsabilidade pelo que você deseja e ter disposição para buscar todas as condições necessárias para realizar. Se precisa de ajuda, peça ajuda. Contrate um profissional que possa realizar as partes que estão fora de sua competência e cerque-se de pessoas confiáveis e proativas.
Tenha autoliderança, seja seu próprio supervisor; verifique onde você está gastando seu tempo e seu dinheiro; se comprometa com a auto-organização de horários, materiais e hábitos.

Cuide para que você esteja bem de saúde, dê a si mesma bons conselhos para uma vida saudável. Deixe de se preocupar com coisinhas pequenas, corrija o que não funciona, antes que se torne uma preocupação maior.
Traga a responsabilidade de sua vida para as suas próprias mãos, assuma o controle. Não permita estar condicionada às opções dos outros; tenha sua própria opção de vida.

Quando as coisas são realmente importantes, elas devem atender primeiro às suas necessidades e proporcionar os resultados esperados. Sua autoconfiança e sua autoestima aumentam quando você consegue realizar algo a que se propõe. Não procure uma desculpa para não fazer algo; não veja as dificuldades maiores do que são na verdade; pergunte-se o que é preciso para fazê-lo, e faça.


Primeiro: é você tem que acreditar nos seus sonhos. Depois apaixone-se por seu projeto, tenha entusiasmo para levá-lo adiante, assuma o compromisso com você e não tenha medo. Se alguém achar que o seu sonho é grande demais, então você tem a certeza de que ele está na medida certa. A vida é daqueles que se arriscam, porque existem no mundo três tipos de pessoas:

aquelas que deixam acontecer,
aquelas que fazem acontecer,
e aquelas que perguntam: - O que aconteceu?...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O que te faz feliz?



Faça uma lista: O que faz você feliz?
Você tem feito você feliz?
Qual foi a última vez que você realizou algo que te deixou feliz?

Muitas pessoas constatam que tem apenas desejos, achando que algo vai fazê-la feliz. Entretanto, nem realiza e nem sabe se aquilo a tornará feliz. E vive em função de que "quando isso acontecer eu serei feliz!" A felicidade é feita de momentos, não de desejos. E não vale dizer "ganhar na mega sena sozinho", porque quem garante que você será feliz com tanto dinheiro? Em quem poderia confiar?

Alguns constatam "puxa, faz um tempo que não faço nada que me deixa feliz...". Poucos dizem "que graça tem essa coisa de fazer lista? Tudo bem. Se você tem menos de 20 anos, pode não ter graça mesmo. Mas para quem já tem mais de trinta, que já viveu alguns momentos bons e ruins, estes sim, pode servir para uma boa constatação:
 
  • que reclama muito e não faz nada para mudar.
  • que precisa tirar férias ontem.
  • que as prioridades agora tem vários nomes, menos o seu.
  • que está ranzina, mau humorado e chato por sua própria culpa.
  • que fazer alguém feliz é tãããão gostoso...
  • que nunca foi feliz, mas sabe que ainda há tempo enquanto estiver vivo.
  • que ser feliz é relativamente fácil, basta dar valor às pequenas coisas.


Então, faça sua lista e se proponha a fazer a cada dia algo que te faça feliz... Não espere por isso ou aquilo. A felicidade está sempre ao alcance de nossas mãos. Seja grande ou pequena, não importa. Importante é ser feliz.

Relativa é a idéia que cada um faz da felicidade. Para uns, felicidade é dinheiro no bolso, cerveja na geladeira, roupa nova no armário. Para outros a felicidade representa o sucesso, a carreira brilhante,o simples fato de se achar importante, ainda que na verdade as coisas não sejam bem assim. Para outros tantos, ser feliz é conhecer o mundo, ter um conhecimento profundo das coisas da terra e do ar.

Mas para mim, ser feliz é diferente, ser feliz é ser gente, é ter vida. Como dizia o poeta: É bonita, é bonita e é bonita... Felicidade é a família reunida, é viver sem chegada e sem partida. É sonhar, é chorar, é sorrir... Felicidade é viver cercado de amor, é plantar amizade, é o calor do abraço de um amigo ou amiga, que mesmo distante lembrou de dizer: "Alô".

Ser feliz é acordar às cinco da matina, depois de ter ido dormir às três da madrugada. E com sono e pra lá de cansado, dar uma pontinha da cama para o filho dormir. Ser feliz é ver todo dia um sorriso de criança, música, dança e paz. É o prazer de descobrir a cada dia, que a vida  inicia novamente a cada amanhecer.

Ser feliz é ter violetas na janela, chá de maçã com canela, pipoca na panela e um CD bem mela-mela para esquentar o coração. Ser feliz é curtir sol radiante, frio aconchegante, chuvinha ou temporal. Ser feliz é enxergar o outro e sabe lá quantos outros cruzam nossa estrada. Ser feliz é fazer da vida uma grande aventura, a maior loucura, um enorme prazer...


video




segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Bondade com limites





A maioria das pessoas são criadas com uma falsa concepção de bondade em que devem aceitar tudo, ser boazinhas para então serem amadas, admiradas e aprovadas na expectativa de receber elogios. E se durante a infância são muito criticadas ou rejeitadas, por não corresponderem às expectativas dos adultos crescem acreditando que são inadequadas e insuficientes para produzir algo de bom.

E, por acreditar que não são boas o suficiente, vão se submetendo a tarefas e imposições frequentes na tentativa de convencer a si mesmas da sua bondade. Se consideram indignas de prazer e de felicidade como uma forma de castigar a si mesmas, sentindo-se até mesmo desconfortável com suas conquistas porque acham que não a merecem.

Assim podem criar vínculos destrutivos ao se submeterem aos outros, repetindo continuamente sua história de infância. É preciso muita forçade vontade e conscientização para sair desse ciclo negativo, recriando e partindo para um novo começo, tornando-se responsável por sua própria vida. Sem abrir espaço para culpas e desculpas, nem quanto ao passado e nem quanto às pessoas, é possível melhorar a auto estima e assim não ter necessidade de aprovação dos outros.

Dizer sim a todos, recusar-se a competir, ceder a favor dos outros, ter compulsão para servir e agradar abrindo mão de suas próprias necessidades, pode provocar intimamente uma grande revolta pela invasão dos outros em sua vida, que você passivamente permite cultivando secretamente uma raiva, e daí se sentir culpa e inadequação por não corresponder à concepção de bondade que lhe foi transmitida. 

Esse tipo de pessoa prestativa e disponível é ótima para dividir ou se encarregar do fardo dos outros, mas são péssimas para si mesmas quando não conseguem colocar um limite para os outros, fazendo de tudo e até mais do que sua própria capacidade com receio de que os outros possam acusá-la ou menosprezá-la.

Às vezes algumas pessoas se sentem em demérito quando mentem ou fazem algo do que se arrepende, e então se punem com a servidão para expiar sua culpa ou remorso. É um grande engano. É normal sentir decepção pelos fracassos, mas é uma oportunidade para amadurecer e aprender a lição com a experiência mal sucedida, porque perfeito, ninguém nunca será e a bondade está longe de conter a excelência.

Só se possui a bondade quando se utiliza o melhor de si, sem necessidade de concordar a todo tempo. Muitas vezes a pessoa atropela a si mesma na esperança de ser qualificada como boazinha; diz sim quando gostaria de dizer não, ou seja, vai no caminho contrário da bondade sendo falso consigo e com os outros.

Nenhum sentimento é contrário à bondade quando você age em prol de si mesmo, pois faz parte do equilibrio que mantém sua vida. Isto se chama amor próprio, auto estima. Bondade não é subserviência, é sensibilidade, é ternura e existe dentro de si para que dela faça bom uso, sem se penitenciar e se maltratar para poder atender os desejos dos outros ultrapassando os limites do seu próprio bem estar. 

E existe ainda a bondade maldosa, aquela que camufla a intenção egoísta para tentar se livrar de suas próprias culpas, fazendo algo mais por si mesmo do que pelo outro. A pretensa bondade muitas vezes se esconde na busca de reconhecimento, de admiração, de amor, respeito e aplausos. Assim pode entrar numa competição e se atrair mais pela posição de destaque do que pela própria bondade e humildade que quer transparecer. E nesta ostentação disfarçada, pode até fazer a coisa certa porém por uma razão duvidosa que, ao invés de trazer um bem estar, pode levar a um vazio interior.

É muito bom se sentir importante. É ótimo obter reconhecimento e aplausos. É magnifico estar no palco, mas a bondade não necessita de holofotes; a bondade é algo que se usa de forma gratuita, no momento justo e com a pessoa certa sem outras intenções. A vida é uma questão de escolha e você pode escolher o melhor para si a todo momento. É dizendo "não" aos outros quando não estiver disponível para realizar um favor, sem sentir culpa por isso, e dizer "sim" apenas quando achar que tem possibilidades de atender sem contrariar a si mesmo.

Nunca seremos totalmente bons e justos aos olhos dos outros, e até poderemos ser considerados perversos quando adquirirmos uma nova maneira de ser deixando de concordar com tudo e com todos, não permitido ser capacho dos outros. Ninguém se orgulha o tempo todo de si mesmo, por isto é preciso ter um olhar compreensivo, ter compaixão de si para ter compaixão com os outros, não exigindo de ninguém a perfeição que muitas vezes queremos exigir de nós mesmos.

Vamos errar muitas vezes mas teremos de aprender a lidar com as nossas imperfeições, incapacidades e limites. A bondade que existe em nós não pode conviver com o desconforto de dá-la somente aos outros; ela existe para que sejamos bons para nós mesmos. A bondade não sufoca, não se envaidece, não irradia a virtude, não provoca o desejo de retribuição. A bondade, tem seus limites! ...


Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares