Pesquisar nesse blog

sábado, 21 de dezembro de 2013

Não espere o ano novo para ser feliz




Chega o final do ano e começamos a fazer mil planos para o próximo ano. Desde já estamos com o nosso pensamento positivo para realizá-los, porém é importante sabermos que não bastará pensar positivamente para resolvermos as nossas questões e sermos felizes. Mais do que isso, precisamos desde já começarmos a mudar o nosso modo de encarar os acontecimentos e reavaliarmos os nossos valores, crenças e atitudes.

Valor é algo muito pessoal e cada pessoa tem uma noção de valor diferente. Isso significa que cada pessoa define o que é mais importante para si. Uns consideram que aprender é essencial; outros acham que é divertir. Tem aqueles que pautam suas vidas pela honestidade, justiça e igualdade, outros consideram mais importante cuidar da própria vaidade. Alguns tem como prioridade a interação com os outros, ser solidário, ajudar ou cuidar de outras pessoas. Enquanto isso, muitos estão cuidando é da própria realização pessoal. E então, o que é mais importante para você?

Nossos pensamentos, sentimentos, ações, decisões e escolhas são influenciados diretamente por nossos valores pessoais. Aquilo que atribuímos maior significado será determinante para nos direcionarmos num caminho. Se não soubermos o que mais valorizamos, o que tem um significado para nós, certamente iremos ficar confusos em nossas decisões ou poderemos decidir por caminhos que não nos servem e podem até se tornar numa tragédia pessoal. Por isso, é importante sabermos quais são os nossos valores pessoais.

Quando compreendemos bem os nossos valores pessoais, quando sabemos o que mexe mais com a gente, o que nos motiva e nos fazem sentir bem, não temos dúvida nenhuma quanto o caminho a seguir e aumentamos as possibilidades de sermos bem sucedidos. No entanto estamos passíveis de cometermos alguns erros, que podem dificultar a materialização dos nossos valores. Um desses erros é confundir os nossos valores com os valores de outras pessoas ou da sociedade onde vivemos.

Conselhos servem apenas como referência

Nossa família é um pilar importante para realizarmos os nossos objetivos mais importantes, assim como os nossos parceiros, amigos, colegas do bairro, da escola e conhecidos em geral. E quando consideramos que as pessoas de nosso relacionamento são a nossa prioridade, tendemos a considerá-las em nossas decisões para que possamos atingir os nossos objetivos sem causar desconforto nas pessoas que nos são caras.

Mas por vezes investimos nossa vida fazendo algo simplesmente porque outras pessoas ou a sociedade diz que é o mais correto. Os conselhos e recomendações que recebemos podem até servir como uma dica legal, principalmente quando encontramos pessoas gabaritadas para isso. Entretanto, tudo o que as pessoas dizem se baseia na experiência delas e pode não servir para nós. Por isso, conselhos devem servir apenas para que possamos descobrir as nossas próprias capacidades, potencialidades e qualidades.

Cada ser humano é único

Um dos grandes problemas da humanidade é sentir na obrigação de ser ou de fazer as coisas, porque é o que outras pessoas esperam ou seguirmos o que a maioria faz. Muitas vezes nos sentimos pressionados pelas convenções e acabamos por sufocar a nossa essência. E, por não coincidir com os nossos valores pessoais, acabamos tropeçando em nossos próprios pés e vivendo de uma forma infeliz.

A principal questão é compreender que jamais conseguiremos agradar totalmente todas as pessoas. Ainda que estejamos nos esforçando para fazer algo de bom, sempre faremos algo que alguém não estará de acordo e sempre haverá alguém palpiteiro para dizer como deveríamos agir. Da mesma forma, nunca pense que conseguirá ser ou viver exatamente como outra pessoa. As pessoas servem como uma referência para alcançarmos qualidades e habilidades, mas cada ser humano é único.

Medos todos tem, mas segurança nunca teremos

Outro erro muito comum é nos apegarmos a uma zona de conforto pelo medo de corrermos riscos e pela incerteza dos resultados. É certo que nunca devemos nos arriscar demais, porém segurança total é uma ilusão. Nunca estaremos plenamente seguros, pois a incerteza faz parte da vida. Por exemplo, é muito comum na vida profissional vermos pessoas que optam por permanecer no mesmo emprego por vários anos, mesmo que sejam mal remuneradas, ao invés de ir em busca de novas oportunidades.

Às vezes precisamos sair da zona de conforto para expressarmos os nossos valores e encontrarmos satisfação pessoal. Para isso precisamos acreditar mais em nós mesmos, em nossas capacidades e habilidades. Quando estamos cientes das nossas limitações e do que somos capazes, temos mais possibilidades de optar por caminhos de acordo com os nossos valores e que nos possibilitem satisfação e crescimento.
 
Quem sabe o que quer e onde quer chegar, tem mais possibilidades de acertar. À primeira vista pode parecer simples, mas não é. Tem muita gente vivendo uma vida que não quer e nem sabe dizer sobre a vida que gostaria de ter. Por vezes a nossa história vai sendo construída sem traçarmos um rumo para onde pretendemos caminhar. Circunstâncias, momentos de dificuldade, medos, confusão e falta de clareza nos próprios valores podem acabar nos levando para um lugar onde não gostaríamos de estar. Mas podemos reverter esse processo começando por definir o que é importante para nós e o que queremos construir.

Importante é acreditar em nós mesmos e em algo superior

Outro ponto importante é não nos colocarmos na dependência de outros e nem ficar esperando que outros resolvam suas vidas para tomarmos uma atitude. Depois de termos determinado o que é mais importante para nós, precisamos enfrentar as situações confiando em nós mesmos e em nossas capacidades. Isso irá nos ajudar a superar os nossos medos.

Se houver riscos, basta analisarmos os meios possíveis de contorná-los. Mas não fique vendo fantasmas onde não existem. Acreditar em algo que está acima do que podemos ver, significa termos um ponto de apoio. Dizem que a fé remove montanhas e isso se torna verdade quando somamos à nossa força de vontade para superar obstáculos e continuar em nossa empreitada.  

Seja fiel a si mesmo


A honestidade é um valor necessário para conquistarmos a confiança dos outros e termos sucesso em nossa vida pessoal. É importante sermos honestos não só com os outros, mas principalmente com nós mesmos e com os nossos valores.

A culpa nasce quando agimos contra os nossos próprios valores. Por isso é tão importante sermos leais e fieis a nós mesmos, buscando viver com dignidade para não estarmos sempre à sombra de deslizes do passado. Fêz algo de errado, confundiu-se, enganou-se? Reflita sobre as suas limitações. Superá-las pode demandar esforço, mas serão compensatórias.


Há pessoas que sempre se justificam dizendo que não tem tempo suficiente para fazer algo para melhorar. Na verdade todas as pessoas tem exatamente 24 horas por dia, a diferença está no modo de se utilizar o tempo. A primeira providência é cuidarmos mais de nós mesmos, dar prioridade aos nossos interesses e ao que consideramos mais importante. E, se sobrar tempo, até podemos cuidar dos interesses dos outros.

Outra questão são as pausas. Elas são essenciais para que possamos refletir, analisar e recarregarmos as nossas energias, mas nunca devem ser longas demais para fugirmos de obrigações e decisões. Depois de uma curta pausa é imprescindível voltarmos à luta e enfrentarmos os desafios da vida.

Você acredita em sorte e azar?

Sorte ou azar não existem. Não existem pessoas sortudas; existem apenas aquelas que fazem as coisas acontecerem e não ficam esperando pela sorte. Na verdade, todo mundo só colhe o que planta. Invejar os outros também não nos levará ao mesmo tapamar dos outros. Todo mundo tem os seus momentos bons e ruins.

E depois de um momento ruim não devemos esperar que tudo mude imediatamente. É preciso um tempo para assimilarmos as mudanças e entendermos que ninguém precisa ser infeliz porque enfrentou um fracasso. Importante é traçarmos um novo caminho e sermos felizes enquanto estamos caminhando em direção ao futuro.

O passado já se foi e a vida só acontece no presente.
Não espere chegar um novo ano
para tornar a sua vida melhor.
Seja feliz desde já!...



terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Aprenda com a coruja

 
 


Soberana ave da noite, embora considerada por antigas culturas como mau agouro, para os antigos gregos a coruja era uma poderosa conhecedora do oculto e simbolizava o mistério. Na mitologia grega, Athena que era a deusa da sabedoria, da justiça, da habilidade e da estratégia, trazia consigo uma coruja. Segundo a lenda, a coruja revelava-lhe as verdades invisíveis.
 
Simbolicamente a coruja está associada com a clarividência, a projeção astral, a magia negra e branca. Por muito tempo a coruja foi associada às bruxas e uma antiga superstição dizia que aquele que comesse a carne de uma coruja poderia adquirir poderes divinatórios, dons de previsão e clarividência. Haviam também outras superstições que envolviam a coruja, no entanto com ela podemos aprender algumas competências essenciais ao nosso desenvolvimento.
 
Com seus olhos arregalados, enquanto todos dormem a coruja permanece atenta e vigilante aos barulhos da noite. Por ser a ave que vaga pela noite, a coruja era vista pela antiga cultura grega como símbolo da busca pelo conhecimento e autoconhecimento. Ela caça pelo barulho e isso significa estarmos atentos aos barulhos que vem de nossa mente, aos pensamentos que giram, giram e nada concluem.
 
Os gregos consideravam a noite o momento propício para a reflexão filosófica e a coruja era considerada uma mensageira que aparecia em sonhos e meditação. Sendo um símbolo da inteligência, reflexão, sabedoria e conhecimento racional e intuitivo, para os antigos gregos a coruja não estava relacionada à percepção direta das coisas. Por se orientar pelo reflexo da luz solar sobre a Lua, os gregos associaram a coruja ao conhecimento, que é fruto da reflexão e sabedoria. Enxergando através da escuridão, ela consegue ver o que outros não veem.

Na tradição dos índios norte-americanos dizia-se que a coruja morava no leste, um lugar de iluminação. Eles diziam: "Se buscas respostas, pergunte à coruja que é tão sábia e tenha disposição para receber uma resposta que possa levar você a uma viagem por mundos desconhecidos tanto no plano físico, quanto mental, emocional e espiritual. É a coruja que nos ensina sobre o mistério, o desconhecido, o que se esconde nas sombras, a sabedoria de viver e os mistérios da morte. Grande parte da medicina da coruja é secreta, estando relacionada a antigos conhecimentos do feminino e da Lua."
 
Geralmente são chamados "pais corujas" aqueles que ressaltam com um certo exagero as qualidades dos filhos. Conta uma fábula que, pretendendo proteger seus filhotes de predadores, a coruja dizia aos outros animais que os reconheceriam facilmente porque eram os mais bonitos da floresta. Daí o dito popular: "Toda a coruja gaba-se do seu toco". Embora tenha se tornado um símbolo da feiúra, a coruja ensina que a aparência externa não vale mais do que a beleza interior que é inerente ao espírito.
 
Enquanto a humanidade receia a escuridão e se ilude, a coruja enxerga no breu da noite e percebe tudo com clareza. Capaz de girar a cabeça quase que completamente, a coruja mostra a necessidade de analisarmos todos os lados de uma questão. O termo "ficar corujando" significa saber ouvir e prestar atenção. Com sua grande capacidade de audição e visão, a coruja ensina que precisamos compreender que há outros pontos de vista. Isso é o início de sabedoria...
 
 
 
Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares