Pesquisar nesse blog

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Crenças: reinventando-se 2ª parte



Você pode mudar de emprego, de relacionamento, de casa, de cidade, mas se você não muda suas crenças, logo vai descobrir que se repetem os mesmos padrões e problemas antigos. Não adianta mudar o cenário se você que é o ator principal continuar a representar a mesma peça teatral; você sempre alcançará os mesmos resultados. Uma crença é só um pensamento contínuo, então, enquanto mantiver esse pensamento, você continuará vibrando e atraindo o que se relaciona com ele. E assim, você confirma sua crença repetidamente. Você atrai para si tudo o que acredita.

Quando você era apenas uma criança, você não podia avaliar as idéias por si mesmo, não tinha a habilidade para raciocinar ou questionar alguma coisa, você não tinha meios para saber se o que estava acreditando como verdade era bom ou não para você. Você era uma tela em branco sendo colorida pelas experiências vividas num meio adulto.

Quanto mais intensa a experiência, maior o impacto e mais poderosa é a crença e a programação criada. Mas se quiser crescer realmente como pessoa, mude as suas crenças. Conscientize-se que o seu mundo é diferente do mundo dos outros, porque os filtros são diferentes. Em outras palavras, nem você nem os outros podem garantir que estão vendo a verdade, porque todos estão interpretando a vida com base na própria programação pessoal.

Não vemos as coisas como realmente são, interpretamos segundo nossos julgamentos e opiniões, e achamos que são a única verdade. A mudança vem com a prática constante, até se tornar automática. Por exemplo, quando você tem as suas primeiras aulas de direção, tudo parece complicado. Depois de algumas aulas você já consegue coordenar a direção com os pés no acelerador, freio e embreagem.

E depois de mais um tempo de prática você dirige sem pensar, incorpora o conhecimento e simplesmente dirige sem precisar de toda aquela concentração que foi necessária no início. Você já consegue trocar a marcha, olhar pelo retrovisor e tudo acontece automaticamente enquanto ouve uma música ou pensa em outras coisas. E quando trocar de carro, precisará novamente focar sua atenção até mudar o condicionamento anterior.

Reflita, pondere, pergunte-se e aguarde a resposta surgir lentamente, revelando a você sobre suas crenças e terá a oportunidade de reconhecê-las em conversas com amigos, nos livros que lê, em filmes que assiste e nas opiniões que emite sobre as outras pessoas. Você encontrará muitos sinais em todo lugar. Seu trabalho será semelhante ao de um arqueólogo: buscar, cavar, juntar peças, compor, limpar com cuidado e tratar as descobertas com delicadeza e atenção aos mínimos detalhes.

Mudar, adequar ou instalar novas crenças depende unicamente da sua aplicação na prática. De início estará consumindo toda a sua atenção e quando menos esperar estarão incorporadas em você. Você não precisa ter respostas absolutas, não existem respostas certas nem erradas e todas as suas reações, ceticismo, confusão, reconhecimento, descobertas, energia e tranquilidade são passos importantes deste processo.

Na prática pergunte-se:
  • Qual é a verdadeira natureza de uma crença e como chegou a este conjunto de crenças que tanto afetam a sua vida?
  • Escreva 5 coisas que acredita sobre si mesmo e 5 coisas que acredita sobre o mundo ao seu redor.
As crenças verdadeiras são aquelas que você não tem dúvida alguma sobre a validade delas. São estas crenças que criam a sua realidade pessoal, uma visão de mundo única que, muitas vezes, o que acha ser verdade, é verdade somente para você. Concentre sua atenção nas mínimas coisas que você faz: tomar banho, escovar os dentes, penteiar os cabelos, beber água, andar de ônibus, sentar, levantar, andar, coloque-se inteiramente no que faz para realmente saber o que faz, quando faz, porque faz e como faz. E tenha atenção às suas sensações.

3ª parte - clique aqui


Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares