Pesquisar nesse blog

sábado, 28 de julho de 2012

Escolha de Sofia



Todos os dias somos submetidos a escolhas e decisões. Acordar cedo ou dormir até mais tarde? Tomar um café apressado ou fazer uma deliciosa refeição matinal? Vestir vermelho ou azul? Sair de carro ou caminhar um pouco mais? Porém há escolhas mais profundas que nos levam a um verdadeiro tormento. Mas como escolher e decidir? Decida e escolha o que te faz feliz ou o que menor dano possa causar, mas nunca decida sob pressão ou sem refletir, evitando estar diante da "Escolha de Sofia".  

A "Escolha de Sofia" é o título de um filme produzido em 1982 e baseado no romance homônimo escrito por William Styron em 1979. O tema retrata um dilema, a angústia de julgar, escolher ou tomar uma decisão, sendo usado como expressão quando estamos indecisos diante de duas opções ou quando qualquer caminho que tomemos são igualmente ruins e nefastos.

A dramática história tem início quando o jovem Stingo, um aspirante a escritor, vai morar no Brooklyn onde tem Sofia como sua vizinha. Ele estabelece amizade com ela e seu impetuoso amante e,  compartilhando das aventuras e desventuras de Sofia, ele começa a conhecer um pouco de sua história de vida. 

Certo dia Stingo presencia uma discussão entre Sofia e seu amante, que desperta sua curiosidade em conhecer mais profundamente a história de Sofia que parece ocultar algo que a atormenta. Isso era visível em sua constante embriaguês e no amor caótico que ela vivia. Em uma conversa, Sofia relembra sua história.

Ela vivia na Polônia quando os nazistas tentavam descobrir os judeus, seus protetores e todos aqueles considerados inimigos do nazismo. Injustamente ela foi enviada a Auschwitz junto com sua filha e seu filho. Ali ela foi separada dos filhos, tendo feito a mais cruel decisão de sua vida. 

Sofia testemunhou os horrores do holocausto e, por conhecer o idioma alemão foi designada para trabalhar na casa de um chefe da Gestapo que se considerava como um deus. Era exatamente aquele que decidia quem devia viver e quem devia morrer. A proximidade com o comandante lhe permitiu expor sua condição e suplicar liberdade para si e seu filho.

Apesar de ter sobrevivido ao holocausto, Sofia carregava consigo o tormento de uma decisão. Quando havia chegado ao campo de concentração, ao ser interrogada por um comandante ela foi submetida a uma escolha: devia entregar um dos filhos para morrer ou ambos seriam mortos. Torturada pela decisão a ser tomada e em desespero pela pressão sofrida, Sofia entregou sua filha para morte...



Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares